Fashion Week tem 1ª edição sem peles de animais

REUTERS/Henry Nicholls
Entre as outras marcas que estão dando as costas às peles estão as grifes de luxo italianas Versace e Gucci

A Fashion Week de Londres começou hoje (14), declarando-se pela primeira vez totalmente livre de peles de animais, à medida que um número cada vez maior de estilistas procura adotar posicionamentos éticos.

LEIA MAIS: Burberry decide parar de eliminar produtos não vendidos

O evento comercial de cinco dias, a segunda etapa da temporada de desfiles primavera/verão 2019, tem nomes menos conhecidos do que Nova York, Milão e Paris, mas atrai clientes, jornalistas e blogueiros de todo o mundo graças a novos talentos e a marcas estabelecidas como Burberry, Christopher Kane e Erdem.

De acordo com pesquisa do Conselho de Moda Britânico (BFC), nenhuma pele animal será usada nas passarelas de Londres ou nas apresentações dos estilistas nesta temporada.

“Em todas as temporadas perguntamos se peles serão apresentadas nas passarelas ou em apresentações. Esta é a primeira vez que os estilistas disseram que as peles estarão 100% fora das passarelas”, disse à Reuters a executiva-chefe do BFC, Caroline Rush. “Acho que isso reflete uma mudança em suas escolhas criativas e o poder do consumidor e realmente pensar nas imagens que eles estão apresentando durante a semana de moda.”

Na semana passada, a Burberry anunciou que não usará mais peles verdadeiras em seus produtos, tornando-se a mais recente marca a bani-las em meio à crescente pressão de grupos de direitos animais e à mudança de preferências de clientes mais jovens.

Entre as outras marcas que estão dando as costas às peles estão as grifes de luxo italianas Versace e Gucci.

VEJA TAMBÉM: 7 grifes de luxo que não abrem mão da ética

“Das quatro grandes capitais da moda, Londres certamente é a primeira que pode dizer que estaremos 100% sem peles desta vez”, acrescentou Caroline.

Do lado de fora do principal local de desfiles, um grupo pequeno da entidade de direitos dos animais Peta comemorou a notícia com cinco mulheres vestidas como gatas segurando cartazes dizendo “passarela livre de peles”.

O mercado de moda feminina cresceu 3,2% no ano passado no Reino Unido, chegando a £ 28,4 bilhões (US$ 37,26 bilhões), segundo a empresa de pesquisa Mintel, e as vendas devem chegar aos £ 33,5 bilhões em 2022.

Ao dar início à semana de moda com um desfile ousado e colorido, Richard Malone escolheu o rosa choque, o amarelo mostarda e tons intensos de azul e verde para sua coleção que pareceu ter influências dos anos 1960 a 1980.

Entre os destaques da temporada está Victoria Beckham, que comemora seus 10 anos na indústria da moda levando seu desfile de Nova York para Londres.

O post Fashion Week tem 1ª edição sem peles de animais apareceu primeiro em Forbes Brasil.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *